A caça é, atualmente, uma das maiores ameaças a diversas espécies de animais silvestres da Mata Atlântica, como o porco do mato, paca, cotia, anta e algumas aves, como jacu, jacutinga, macuco e o pavão, já ameaçados de extinção

Com o objetivo de coibir a ação de caçadores dentro da Unidade de Conservação, a Fundação Florestal, gestora do Parque Estadual da Serra do Mar, tem intensificado suas ações de fiscalização. No Núcleo Picinguaba, somente nos meses de junho e julho, foram registradas 195 ocorrências relacionadas à atividade de caça. Dentre elas, destaca-se a destruição de 24 ranchos, 13 cevas e 160 estaleiros, além da prisão de dois caçadores e apreensão de duas espingardas calibre 28 com mais de trinta cartuchos.

Embora seja crime, a caça é uma atividade predatória e comum entre as comunidades caiçaras, seja por esporte, consumo ou comercialização, os caçadores atraem e matam diversas espécies de animais, algumas delas já ameaçadas de extinção, como o porco do mato, anta, onça e algumas aves, como jacu, jacutinga e o macuco.

As equipes de Fiscalização do PESM – Núcleo Picinguaba vem realizando trabalhos diários, através de incursões na mata à procura de infratores, ranchos, estaleiros, armadilhas, cortes de palmitos, extração ilegal de madeira, bem como as construções ilegais dentro dos limites do Parque. Segundo os vigilantes do PESM, é comum entrar na Mata por trilhas em Ubatuba e sair em outras cidades, como Cunha, São Luiz do Paraitinga, Natividade da Serra, Caraguatatuba e Parati. Esta fragilidade torna o controle das trilhas muito vulnerável, possibilitando a ação criminosa dos caçadores.

Neste sentido a Fundação Florestal está se preparando para reforçar as equipes de fiscalização com novos funcionários que terão o apoio da Polícia Ambiental através do Programa PRO-PARQUE.

Prisão

A ação que culminou com a prisão dos dois caçadores durou dois dias. No primeiro dia, o rancho foi encontrado e os caçadores fugiram deixando para trás dois celulares, uma espingarda calibre 28, 11 cartuchos, uma lanterna e uma balança de mão, o que caracteriza a “caça comercial” de animais silvestres. No segundo dia, os guarda-parques retornaram ao local com o apoio da Polícia Ambiental e surpreenderam dois caçadores, com mais uma espingarda calibre 28 e 17 cartuchos, entre outros petrechos de caça. Os caçadores foram encaminhados pela Polícia Ambiental à Delegacia de Policia de Ubatuba, sendo autuados em flagrante delito.

Escritório Regional da Fundação Florestal
Rua Esteves da Silva, 510
Centro – Ubatuba
CEP: 11.680-000