santosprc3a9diostortosdaorla1

 Apesar de já ser atração turística da cidade de Santos entre turistas, moradores, autoridades e construtoras, a verdade é que os prédios totalmente inclinados chegam a assustar e muito.

Um dos exemplos é a situação do edifício Maembi, no número 65 da avenida Bartolomeu de Gusmão, é um dos prédios mais tortos da cidade, e ainda enfrenta outro problema, a construção de um prédio, no lado direito, teria provocado rachaduras em alguns apartamentos, segundo moradores do local.

Este problema está sendo resolvido com o trabalho de recolocar os prédios no seu devido lugar, esta situação ocorreu, devido fundações pouco profundas utilizadas nas décadas de 40, 50 e 60. Eram apoiadas na areia, a primeira camada do solo, mais resistente, porém com pouca profundidade (média de 7 metros), principalmente entre os canais 3 e 6, onde se concentra a maioria dos prédios tortos. Abaixo da areia, vêm as grandes camadas de argila marinha (30 a 40 metros) que, com o peso da carga das construções, provocaram os desvios.
Na orla santista, há cerca de 90 edifícios com esta característica. Há indícios de que seja o único caso em todo o Brasil. No mundo, pode se achar algo semelhante no México e a comparação a Torre de Pisa. O que se encontrava em pior situação, o Núncio Malzoni, no Boqueirão, com aproximadamente 2,3 graus de desvio, já está em fase de obras que vão corrigir o desaprumo. Estacas de 60 metros de profundidade puxarão as colunas do edifício e corrigirão a inclinação de uma de nossas torres de pisa.

 

Fonte:

Site: www.flickr.com /  www.oglobo.com

Anúncios