TÓQUIO (Reuters) – A captura de baleias pelo Japão em sua mais recente caçada na Antártida ficou abaixo da meta do país após manifestações de ativistas contra a pesca desses cetáceos, disse nesta segunda-feira a Agência Pesqueira do Japão.

O Japão, que considera esse tipo de pesca uma estimada tradição cultural, matou 679 baleias da espécie minke, apesar dos planos de caçar cerca de 850 animais. O país também pescou apenas uma baleia-comum (ou baleia-fin), contra uma meta de 50 estimada no início da caça, em novembro.

Alguns navios da frota japonesa de seis embarcações retornaram para casa após conflitos com o rigoroso grupo Sea Shepherd Conservation Society, incluindo uma colisão que danificou um dos navios japoneses.

A Agencia Pesqueira japonesa disse que os navios não continuaram com a pesca em um total de 16 dias, devido ao mau tempo e aos conflitos com os ativistas.

O Japão interrompeu oficilamente o comércio de pesca de baleias após entrar em acordo com uma moratória global em 1986, mas começou no ano seguinte o que é chamado de um programa de pesca científica de baleias para pesquisa. A carne de baleia pode ser encontrada em alguns supermercados e restaurantes japoneses.

A agência recusou-se a comentar em uma recente notícia que o Japão está pensando em reduzir o número de baleias pescadas a cada ano.

Após a censura internacional, o Japão decretou uma moratória para caças de baleias jubarte, uma favorita dos observadores de baleias.

(Reportagem de Chisa Fujioka – Reuters)

 

Anúncios