03_09_farradoboi1Inacreditável como ainda vemos pessoas fazendo isto nas ruas da cidade. Cidades turísticas como as do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina praticam esse ato covarde por puro divertimento e contemplação dos farristas. Imagine você como turista visitando esses Estados e, de repente, começa  a farra do boi. Certamente você não foi passear com sua família  para ter este desgosto incluído no pacote.

Bem, parece que agora estamos vivenciando uma ligeira mudança nesses Estados. Foi aplicado multa em Santa Catarina como tentativa de frear essa prática criminosa e totalmente inútil. Podemos acompanhar uma matéria publicada na Arca Brasil.

“Uma ocorrência que envolve tortura e morte. Leis federais a proíbem, a esmagadora maioria da população e a imprensa são contrárias, passeatas e campanhas repudiam a prática por todo o país. A descrição se encaixa em situações crônicas e complexas como o tráfico de drogas ou armas, mas aqui estamos falando da farra do boi, algo que aparentemente mais simples de ser controlado.

A farra, ato que se resume em perseguir um bovino com paus, pedras e facas, principalmente na semana santa, encontra abrigo dos políticos locais – por vezes envolvidos diretamente. A crueldade e a impunidade atingem até mesmo Florianópolis, a capital do estado, onde 22 casos foram registrados apenas no ano passado.

Graças uma ação legal com a participação de várias ONGs, o estado de Santa Catarina foi multado em R$ 1 milhão por descumprir reiteradamente, de 1999 a 2006, a determinação federal de proibir a realização da farra do boi em seu território.  Resta saber se a penalidade será suficiente para motivar alguma medida por parte do estado – que tem o orçamento anual na casa dos trilhões – para banir a prática.

Segundo informações da Polícia Militar de Santa Catarina, entre janeiro e março de 2008, foram relatados 130 casos de farras entre janeiro e março de 2008 no estado, 68 deles apenas na semana santa. O número, nada pequeno, apresenta uma redução de 27% em relação ao ano anterior, que teve 180 ocorrências. O Ministério Público de SC credita a diminuição à ações educativas das ONGs locais. Em ambos os períodos, a quantidade de detidos ficou em torno de 25 pessoas, que assinaram termos circunstanciados na delegacia e foram soltos. Não houve nenhum caso de detenção e outras penalidades.”

Pois é, mas ainda há muito o que se fazer. É preciso que aconteça uma mudança cultural nesses Estados, que os habitantes não vejam a farra do boi como atividade natural. Isto é crime! Precisa acabar!

 

Anúncios