Uma equipe de cientistas australianos e americanos descobriu quase 300 espécies de corais, anêmonas e aranhas marinhas em uma reserva marinha a sudoeste da ilha de Tasmânia, na Austrália.

Em uma expedição de quatro semanas, os cientistas enviaram à Tasman Fracture Commonwealth Marine Reserve, que tem até 4 mil metros de profundidade, um submarino não-tripulado.

Vastos fósseis de coral foram descobertos a menos de 1,4 mil metros. Os cientistas acreditam que eles se formaram há mais de 10 mil anos.

A expedição, liderada pelos cientistas Jess Adkins do Instituto de Tecnologia da Califórnia e Ron Thresher, do CSIRO da Austrália, encontrou também registros de danos ao meio ambiente.

“Nós também recolhemos dados para avaliar a ameaça representada pela acidificação do oceano e mudança climática nos recifes de coral únicos das profundezas característicos da Austrália”, disse Thresher.

Os pesquisadores afirmaram que há evidências de que recifes de coral mais novos estão morrendo.

Segundo Thresher, as causas ainda estão sendo analisadas, mas os fatores podem incluir o aumento da temperatura dos oceanos, o aumento da acidez das águas ou doenças. (Fonte: Estadão Online)

Anúncios