O peixe sente dor quando é fisgado pelo anzol?
 
A região da boca do peixe é feita de ossos e de ligamentos, mas tem poucas terminações nervosas. “Como praticamente não existe musculatura, a dor causada pelo anzol é mínima”, afirma Paulo de Tarso, biólogo do aquário Acqua Mundo, no Guarujá (SP). “O peixe sente apenas uma pressão mecânica, como se fosse um beliscão.” No entanto,  caso o anzol se prenda a  qualquer outra parte do seu corpo, o pobrezinho experimentará uma sensação semelhante a dos seres humanos. 
  
Os peixes bebem água?
 
Sim. Eles retiram oxigênio da água para respirar. Uma enguia, por exemplo, toma o equivalente a uma colher de sopa de água por dia. Os peixes também retiram uma certa quantidade de água dos alimentos. Por viverem em meio líquido, eles não precisam beber água para hidratar a pele, como fazem os animais terrestres. 
 
Os peixes dormem?
 
Não exatamente. Eles apenas alteram estados de vigília e de repouso. O período de repouso consistem num aparente estado de imobilidade, em que os peixes mantêm o equilíbrio por meio de movimentos bem lentos. Como não têm pálpebras, os olhos ficam sempre abertos. Algumas espécies se deitam no fundo do mar ou do rio, enquanto os menores se escondem em buracos para não serem comidos enquanto descansam.
  
Os peixes fazem xixi?
 
Sim. Os peixes  precisam eliminar o excesso de água acumulada em seus corpos. Seus rins produzem muita urina para evitar que os tecidos fiquem saturados. Comparados aos peixes de água doce, os de água salgada, que já perdem água por osmose, produzem muito menos urina.
  
Por que os peixes estão sempre com a boca aberta?
 
Eles não conseguem respirar sem que um corrente de água, sempre renovada, passe em suas guelras. Essa circulação ocorre pela boca, em direção aos operáculos, que se baixam e se erguem regularmente. Assim a água é filtrada quando passa pelas guelras, obtendo assim o oxigênio necessário para respiração. 
  
Por que os peixes nadam em cardumes?
 
Um dos motivos é a proteção: em cardume, eles conseguem identificar a presença do predador com mais facilidade. Além disso,  a grande quantidade de peixes ajuda a confundir o predador na hora do ataque. Outra explicação é que algumas espécies fazem grupos para procriar. Nadar em cardumes também favorece a trajetória aerodinâmica na água.
  
Um peixe de água salgada vive na água doce? E um peixe de água doce, vive em água salgada?
 
Não. Os líquidos que circulam no corpo do peixe de água salgada têm aproximadamente a mesma quantidade de sais da água do mar. Se o peixe for colocado em água doce, a concentração de líquidos de seu corpo será maior que a do ambiente. O peixe absorverá água e não terá como eliminá-la, porque seu rim é pouco desenvolvido. Ele inchará e poderá explodir.
Se um peixe de água doce for colocado no mar, a concentração de líquidos de seu corpo será bem menor que a da água e ele perderá líquido até ficar desidratado.
  
É verdade que a maioria dos tubarões não é agressiva?
 
Sim, pois das 450 espécies existentes, só 27 se envolveram em pelo menos um ataque a pessoas. As espécies que mais atacam são o tubarão-branco, o tubarão-tigre e o cabeça-chata, mas não se trata de “maldade” dos bichões. No Brasil, especialmente em Pernambuco, essas investidas estão relacionadas à degradação do ambiente desses animais. Em todo caso, se você for dar um mergulho e der de cara com um tubarão, nada de pânico. É bem provável que ele tenha visto você bem antes. Tente manter a calma, avalie se dá para fugir e vá se afastando aos poucos,  não tire o animal de seu campo de visão e evite dar as costas para ele. Há relatos de vítimas também que conseguiram se salvar batendo com força na região do focinho e dos olhos do tubarão, que é o centro sensorial do animal.
 
Fonte: www.guiadoscuriosos.com.br

 Caco Araújo

Anúncios