Aquecimento global

O que falar de uma realidade tão clara e explicita na nossa atualidade? No nosso Brasil entendemos que o aquecimento global não é culpa nossa, mas sim, somos grandes vitimas dos países de primeiro mundo. Sim, claro que somos, mas não tanto assim…

Hoje o Brasil está na lista dos paises “sujos” que estão maltratando o nosso planeta terra. O desmatamento e as queimadas são os grandes responsáveis pelas emissões de CO2 geradas pelo nosso pais. Em porcentagem, 75% das emissões no Brasil são por causa do desmatamento de nossas florestas. Em pleno século XXI ainda temos essa vergonhosa porcentagem de emissões de CO2 no território nacional.

No litoral já sentimos os efeitos deste caos que nós próprios armamos. Em Caraguatatuba e em outros municípios do nosso litoral norte de São Paulo vemos o efeito do avanço do nível do mar em nossas praias que, a cada ano, ficam menores.

O desmatamento no litoral, infelizmente, também é uma cruel e terrível realidade, onde a nossa mata Atlântica tem sido totalmente devastada por pessoas sem pudor ou coração.

Esta na hora de refletir sobre nossas ações e entender que estamos intimamente conectados com o meio ambiente e que todas nossas ações refletem na natureza e em nossas vidas, sejam elas degradativas ou que preservem o meio ambiente.

Quem está escrevendo essas linhas também já foi um ser errante mas que, em certo dia, ouviu um pedido de ajuda, um pedido de socorro que tocou o meu coração e me fez entender o quanto eu era um ser hipócrita, cruel e sem escrúpulos… Quando ouvi este pedido de socorro prometi para a mãe natureza que iria ajudá-la a se recuperar e que nunca desistiria dela.

Amigo, o que te peço é que se junte, não a mim, mas à nossa mãe terra e ajude-a a curar-se deste câncer maligno chamado aquecimento global, pois o nosso tempo está se esgotando e o último  diagnóstico da nossa mãe terra é que este câncer esta se agravando e que os remédios não estão mais fazendo efeito e que, talvez, daqui alguns anos ela não resista mais…

Adriano Ap. Silva
Biólogo Cr.

:::

Sobre o autor do texto:
Adriano Aparecido da Silva nasceu em São Paulo Capital, onde viveu toda sua infância e pré-adolescência. Paulista por naturalidade e caiçara de coração, pois no ano de 2002 mudou-se para Caraguatatuba litoral norte de São Paulo, onde sua paixão pelo meio ambiente ficou cada vez mais intensa. Em Caraguatatuba começou a entender como era maravilhosa a grande dinâmica da vida e entender como que o meio ambiente possuía um equilíbrio capaz de abrigar tantos seres diferentes em um mesmo território, e manter o equilíbrio ambiental, tal fato que até o momento só tinha visto em livros didáticos.
No ano de 2003 ingressou na Defesa Civil onde ministrou palestras sobre meio ambiente, biodiversidade da mata atlântica e vida sustentável no litoral norte, apartir deste período o coração e avocação para Biólogo começou a falar mais alto. Em 2006 embarcou no maravilho mundo acadêmico no curso de Ciências Biológicas, onde participou de diversos encontros sobre meio ambiente, projetos sobre maricultura e animais marinhos, no mesmo ano foi convidado para atuar como educador ambiental pelo Instituto Supereco, no projeto Água de beber, de comer, de usar e conservar… – ciclos contínuos.
Ainda atua no Programa escola da família como educador ambiental, onde ministra cursos relacionados à biologia marinha e educação ambiental. É representante do programa escola da família no projeto animal é o bicho, e projeto coletivo jovem para o meio ambiente que é parceiro do programa escola da família. Sua principal frase é “educação ambiental é a essência de amor ao próximo”, é uma pessoal tranqüila que sonha com um mundo onde possa ver seres humanos, animais e vegetais vivendo em conjunto sem conflitos
 
Anúncios