POSTADO POR: ANA MARINA MARTINS DE LIMA

Segundo o Detran, dos veículos existentes no país, cerca de 8,5 milhões se encontram na Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), sendo 5,9 milhões de veículos flex, a gasolina, álcool ou gás, 450 mil caminhões, ônibus, vans e caminhonetes movidos a diesel, e 1 milhão de motocicletas. Esses números nos mostram a dimensão do problema, com graves reflexos no trânsito, na qualidade do ar e na qualidade de vida dos cidadãos, sem contar os prejuízos causados à economia da região que responde por mais de 50% do Produto Interno Bruto (PIB) estadual e a 18,5% do nacional. E o problema não pára de crescer, pois cerca de 500 novos veículos são emplacados, todos os dias, somente no Município de São Paulo, disputando o espaço nas ruas e avenidas.

É por isso que vemos grandes congestionamentos em São Paulo, com o trânsito lento se estendendo por quase 200 km nos horários de maior movimento. São longas horas perdidas nas filas e, o que é pior, com os carros, ônibus e caminhões despejando centenas de toneladas de poluição pelos escapamentos.

O problema, em menores proporções, se repete na Região Metropolitana de Campinas e na Região Metropolitana da Baixada Santista, onde a população já sente os prejuízos do trânsito congestionado e da má qualidade do ar. O Poder Público está fazendo a sua parte investindo na expansão do sistema viário e das linhas de trem e de metrô. É preciso que os cidadãos também dêem a sua contribuição, racionalizando o uso do automóvel particular, fazendo os pequenos percursos a pé ou utilizando os meios coletivos de transporte. A curto prazo, esta é a melhor solução, pois os veículos trazem grande prejuízo à qualidade de vida da população.

 Veículos emitem cerca de 97% de alguns gases tóxicos no município de São Paulo. As conseqüências desses poluentes sobre a saúde da população são grandes, contribuindo para elevar as taxas de morbidade e de internação em hospitais, especialmente de crianças, idosos e portadores de afecções cardiorrespiratórias.

 

28/05 – Multirão da Carona

 

Fonte: http://www.ambiente.sp.gov.br/mutiraodacarona/como-participar.html

 

por: Ana Marina Martins de Lima/AmbientedoMeio

 

Anúncios