Conceitualmente, quando falamos de produtos que são Biodegradáveis, estamos nos referindo à substancias que se decompõe, perdendo suas propriedades químicas nocivas em contato com o meio ambiente.

Refere-se também aos produtos que se decompõem por microorganismos, conforme o Instituto Nenuca de Desenvolvimento Sustentável.

https://i1.wp.com/www.dazibao.com.br/boletim/0010/links/este_numero/jur_cassio.jpg

Produtos que não possuem essas características, ao serem descartados de forma irresponsável podem causar danos ao meio ambiente pois, muitos deles, chegam a levar séculos para se decompor, conforme pode-se observar:

TEMPO DE DECOMPOSIÇÃO DOS MATERIAIS
(esses valores são apenas referenciais, pois o tempo de decomposição está diretamente relacionado ao volume do material e as condições em que ele está disposto no solo)

PAPEL – 3 MESES
MADEIRA – 6 MESES RESTOS ORGÂNICOS
RESTOS ORGÂNICOS – DE 6 A 12 MESES
CIGARRO – DE 1 A 2 ANOS
CHICLETES – 5 ANOS
LATA DE AÇO – 10 ANOS
PLÁSTICO – MAIS DE 100 ANOS
VIDRO – 4000 ANOS
LATA DE ALUMÍNIO – NÃO SE DECOMPÕE

fonte: http://www.institutogea.org.br

Muitos não sabem mas existem cerca de 100 milhoes de toneladas de resíduos plástico flutuando no Oceano Pacífico entre os Estados Unidos e o Japão. Os oceanógrafos norte-americanos chamam de “Sopa de plástico”.

Essa “Sopa” é composta basicamente de resíduos não biodegradáveis que mantêm-se concentrados devido às correntes oceânicas, a 500 milhas náuticas da costa da Califórnia.

https://i2.wp.com/www.calvintang.com/albums/other/plastic/gyre.gif

“Inicialmente as pessoas pensavam que era uma ilha de lixos plásticos, sobre a qual quase se podia andar. Mas não é bem isso. É mais como uma sopa de plástico”, diz Marcus Eriksen (Fundação Algalita para Investigação Marinha).

http://goalgreen.files.wordpress.com/2007/06/gyre.jpgCharles Moore, oceanógrafo americano,  descobriu a lixeira em 1997 quando participava numa regatta entre Los Angeles e o Havai, numa zona com pouca circulação oceânica, devido aos ventos fracos.

Segundo o Jornal “The Independent”, cerca de um quinto dos resíduos provêm de descargas de navios e de plataformas petrolíferas. O resto vem do continente.

Segundo a ONU, os resíduos de plástico são responsáveis pela morte de mais de um milhão de aves marinhas e mais de cem mil mamíferos marinhos por ano.

fonte: última hora – Portugal

Caco Araújo

Anúncios