O Parque Nacional de Sete Cidades completa este ano 50 anos de criação. O parque é uma Unidade de Conservação federal, integrante do Sistema Nacional de Unidades de Conservação, administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio.

Foi criado em junho de 1960 em virtude, principalmente, da existência de formações geológicas de grande beleza cênica (fotos abaixo).

O parque tem cerca de 6.221 hectares e encontra-se numa zona de transição, tendo características de caatinga e cerrado, bem como fauna e flora destes dois biomas. Localiza-se nos territórios dos municípios piauienses de Pirucuruca e Brasileira, no norte do estado, distante cerca de 190 km da capital, Teresina. É aberto à visitação com possibilidade de visualização das principais formações rochosas.

As formações geológicas se distribuem em sete sítios principais que levaram à denominação de Sete Cidades, por serem descritas como sete cidades de pedra. Essas formações têm formas as mais diversas que lembram desde animais, como a pedra da tartaruga e a pedra do elefante, até figuras humanas, como a cabeça de D. Pedro.

Além dos atrativos geomorfológicos, há também outros atrativos como as cavernas e as inúmeras e diversificadas pinturas rupestres espalhadas pelo paredões de pedra, incluindo representações de figuras humanas, animais e, até, figuras polêmicas que lembram discos voadores, por exemplo. Há, ainda, cachoeiras e piscinas naturais no interior do parque.

Por fim, temos a função genuinamente ecológica do parque, que é a proteção dada à fauna e flora presentes na área da unidade. A flora compreende espécies como o Pequi, a faveira, o jatobá, o Angelim, entre outros. No que diz respeito à fauna, também bastante diversificada, encontram-se, dentre outras espécies, jacu, paca, veado, tamanduá, cutia e onça suçuarana. Em relação aos aspectos ecológicos vale ressaltar a importância de instituições como a Universidade Federal do Piauí, que realiza pesquisas na área do parque.

Como se vê, Sete Cidades é um parque de grande beleza cênica e importância ecológica, cheio de riquezas e atrativos que o tornam, sem sombra de dúvidas, um dos mais belos parques do estado do Piauí e do Brasil. Vale a pena conhecer essa preciosidade natural, caminhar pelos seus 12 km de trilhas e apreciar esta que é uma das muitas riquezas deste estado.

pedra do elefante

 

 

 

 

pedra da tartaruga

canhão de pedra

cabeça de D. Pedro

pinturas rupestres (à esquerda, o DNA)

pintura rupestre (camaleão)

Esta matéria também foi publicada, pelo mesmo autor, no site:
About these ads