Um gigantesco bloco de gelo, maior que a ilha do Havaí, se desprendeu da placa de gelo de Wilkins, na Península da Antártida. Segundo informações do Conselho Superior de Pesquisas Científicas, CSIC, da Espanha, o bloco se separou do continente devido aos efeitos do Aquecimento Global.

O enorme bloco de gelo de14 mil quilômetros quadrados se fragmentou em uma série de icebergs gigantes que estão à deriva no Atlântico Sul e estão sendo monitorados por uma equipe de cientistas do CSIC, que está analisando o impacto da ruptura sobre o ecossistema do Mar de Bellingshausen.

A equipe de oceanógrafos já havia observado que a frente de gelo do Mar de Bellingshausen havia retrocedido pelo menos 550 km nas últimas duas semanas, além das temperaturas da água do mar estarem extraordinariamente mais quentes na região.

Em março de 2008 uma parte da extremidade da plataforma já havia se desintegrado, colocando em risco a maior parte da geleira. Apesar do aumento da temperatura ter desempenhado papel decisivo no evento, diversos abalos sísmicos maiores que 5.0 graus ocorridos ao longo da Dorsal pacífico Antártica podem ter contribuído.

Nos últimos 50 anos a península antártica experimentou uma elevação de meio grau centígrado por década, considerado o maior aumento de temperatura registrado no planeta.

De acordo com os pesquisadores, a ruptura recente do bloco e sua fragmentação terão efeitos significativos no aumento do nível do mar com efeitos ainda não previstos nos ecossistemas antárticos.

Iceberg B15-A
Em 04 de novembro de 2003 o gigantesco iceberg B-15 se rompeu em dois grandes pedaços a leste-nordeste da Ilha Ross, no Mar de Ross, na Antártida. Dois anos depois, um dos enormes blocos chamado B15-A, de 129 km de comprimento, encalhou na região extrema de McMurdo Sound e impediu durante muitos dias que as correntes marítimas levassem o gelo acumulado na direção ao Mar de Ross.

Na ocasião o bloqueio se tornou um grande problema para os pinguins, que tiveram que caminhar uma distância muito maior até alcançar o mar aberto para se alimentarem. Três meses depois o B-15A, novamente à deriva, se chocou com a extremidade de 5 quilômetros da lingueta de gelo de Drygalski, partindo-a.

Processo Natural
Diversos são os processos que causam a formação ou nascimento de novos icebergs, entre eles a ação dos ventos e das ondas, a colisão com outros icebergs ou o colapso da montanha, que não consegue suportar a si mesma.

O “nascimento” de icebergs iguais a esse na Antártida ocorrem todos os anos e é parte do ciclo natural da camada de gelo. Um estudo feito com base nos últimos 30 anos mostra que grandes icebergs se rompem em períodos entre cinco e dez anos, mas esse período parece estar encurtando provavelmente devido às mudanças climáticas atuais.

Fotos: No topo, parte da plataforma de Wilkins, na Península da Antártida, logo após a ruptura parcial ocorrida em março de 2008. Acima, imagem captada pelo satélite norte-americano NOAA mostra diversas fases da ruptura de 2008. Clique para ampliar. Crédito: National Snow and Ice Data Center/NSIDC/NOAA.

Fonte: site apolo11.com

Ylka Gomes

About these ads